parallax background
O que tratamos

Doença Intersticial Pulmonar

 

            As Doenças Intersticiais Pulmonares são também conhecidas como doenças pulmonares parenquimatosas difusas, recebem essa classificação todas as doenças que afetam o espaço intersticial.

            O espaço intersticial é constituído pelas paredes dos sacos de ar dos pulmões (conhecidos como alvéolos), na fase inicial de algumas dessas doenças, os glóbulos brancos, macrófagos e o líquido cheio de proteína se acumulam no espaço intersticial, esse acúmulo de líquido anormal resulta em uma inflamação dessa região.

            Nosso corpo contém um mecanismo de reconstrução do tecido danificado, em pacientes portadores da doença intersticial esse processo de reconstrução e geração de tecido novo não para. O que acaba provocando uma geração exagerada de tecido, e posteriores cicatrizes provocando o quadro de fibrose pulmonar.

            Existem diversos tipos de doenças intersticiais pulmonares, cada uma distinta entre si com suas próprias causas e sintomas diferentes. A única semelhança nesse quadro é a área afetada, que é sempre a mesma: o espaço intersticial.

Quais são as causas da Doença Intersticial Pulmonar?

            Não são todas as doenças intersticiais pulmonares que possuem uma causa conhecida, alguns especialistas suspeitam que pode estar associada a fatores genéticos, tornando os pacientes mais predispostos a desenvolverem a doença. Há também outra parcela de profissionais que sugere que a causa da doença intersticial pulmonar possui causa ambiental, já que em cerca de 35% das doenças intersticiais o fator ambiental teve relação com a causa do desenvolvimento da doença.

            Algumas outras doenças podem desencadear o processo de regeneração do tecido exagerada, são elas:

  • Distúrbios autoimunes;
  • Exposição a agentes tóxicos;
  • Doenças Pulmonares;
  • Infecções Pulmonares;
  • Medicamentos;
  • Quimioterapia;

Quais são os sintomas da Doença Intersticial Pulmonar?

            Os sintomas da Doença Intersticial Pulmonar começam gradualmente e vão se agravando com o passar do tempo. Muitas vezes os sintomas se confundem com o de outras doenças do sistema respiratório. São eles:

  • Tosse seca persistente;
  • Dificuldade para respirar;
  • Fadiga;
  • Cansaço;
  • Dificuldade em praticar exercícios;
  • Dedos inchados;
  • Nos casos mais avançados da doença, pode haver coloração dos lábios, mãos ou pés devido ao baixo nível de oxigênio no corpo.

 

Como é feito o diagnóstico de uma Doença Intersticial Pulmonar?

            Sempre que apresentar os sintomas acima citados, é importante que o paciente procure um médico para identificar qual a causa. Existem diversas doenças que afetam o sistema respiratório, por isso é importante realizar exames para que se possa chegar a um diagnóstico mais preciso.

            Ainda no consultório o médico, ele fará uma série de perguntas para o paciente, a fim de identificar o quadro atual, e histórico do paciente. Exames como radiografias, exames de sangue, oximetria de pulso, ecocardiografia, tomografia computadorizada do tórax, teste de função pulmonar e análise de gasometria arterial. Esses são alguns dos exames mais solicitados para conseguir identificar a Doença Intersticial Pulmonar.

Quais são os fatores de risco que podem desencadear a Doença Intersticial Pulmonar?

            Apesar das suas causas ainda serem desconhecidas, existem alguns fatores de risco de que devem ser evitados para diminuir as chances de adquirir a doença, são eles:

  • Idade avançada;
  • Alguma doença existente que cause fibrose;
  • Tabagismo;
  • Uso prolongado de medicamentos;
  • Quimioterapia;
  • Histórico familiar;
  • Exposição a agentes químicos;
  • Entre outros.

Qual o tratamento indicado para a Doença Intersticial Pulmonar?

            O tratamento recomendado costuma variar, pois é preciso avaliar qual a causa da doença. O objetivo do tratamento é fazer com que a doença pare de evoluir, já que o processo fibrótico é muitas vezes  irreversível, devido as lesões que são causadas.

            O foco do tratamento da Doença Intersticial Pulmonar é trazer mais qualidade de vida ao paciente, para isso algumas ações podem ser indicadas pelo médico:

Reabilitação Pulmonar

            É um tratamento focado no treinamento respiratório e de métodos de conservação de energia  pelo paciente, ajudando-o assim a evitar episódios de fadiga ou falta de ar. Na reabilitação são feitos exercícios, técnicas de respiração, entre outros.

Uso de medicamentos

            Apesar de não haver cura, os sintomas da doença podem ser aliviados com o uso de medicamentos, como, por exemplo, corticoides para ajudar a controlar a inflamação.

            Para ajudar a aliviar os sintomas e acompanhar a evolução da doença, é preciso que o paciente encontre bons profissionais para fazer o acompanhamento por toda a vida. Por isso é tão importante encontrar clínicas especializadas em tratamentos de doenças respiratórias, como o  Real Instituto do Pulmão.

Fale Conosco
× Como posso lhe ajudar?